Olá,amigos!
Em momentos de incerteza coletiva, quando só podemos especular sobre nosso futuro, é inegável que o medo assome, que a ansiedade cresça, que aos que já se encontram em situação difícil o desespero sobreleve.
Acredito muito na vida como mestra maior e que podemos traçar paralelos entre situações para podermos chegar a conclusões.
Numa das viagens para palestrar, pegamos uma forte turbulência.
Daquelas de fazer o avião chacoalhar,pessoas passarem realmente mal e, sem dúvida, a pensar se iríamos conseguir chegar vivos ao destino.
Eu estava bem apreensiva e comecei a orar.
Ouvi o seguinte de um amigo do lado de lá:
“É uma situação sobre a qual você não tem qualquer poder. Logo, relaxe, faça o que lhe compete e espere. Pois, a cada um será dado de acordo com suas necessidades”
Pois é: estamos dentro do avião Brasil em meio a uma grande turbulência que ainda vai demorar para acabar.
Não temos o controle sobre isso.
Quando tivemos, erramos nas escolhas.
Agora, é fazer, cada um de nós, a sua parte.
Não permitir que a angústia nos roube a saúde, o sono, a esperança.
Fomos irresponsáveis e permitimos que forças ocultas comandassem o país, que uma Vênus de lata enferrujada dissesse o que amar e o que odiar, que os piores de nós se tornassem os lideres de todos nós.
No que acreditar?
Em nossa infinita capacidade de cair e levantar.
O que fazer?
O que nos compete.
Ainda vai piorar antes de melhorar.
Mas vai melhorar.
Jesus no leme!
A incerteza do futuro