Olá, amigos!
No Encontro Espírita de Jacareí, Shellyana disse aos presentes no seminário sobre ufologia espiritualista que Margarete Áquila e eu fizemos, que cada um de nós é responsável por ancorar a energia da Nova Terra e, assim, salvar o planeta.
Claro que sabemos disso.
Mas agimos para tal?
Quanto ainda perdemos de energia por medo, ansiedade, raiva, mágoa, culpa?
Toda esse caos que nos cerca e nos cria um futuro de imensa incerteza, serve apenas para nos aferrar à 3D.
Não que devamos ser avestruzes e enfiar a cabeça no chão, expondo o resto do corpo ao destino, obviamente.
Só nós defendemos bem do que conhecemos.
A pretensa elevação pregada por alguns espiritualistas é , no fundo, escapismo.
Encarnados estamos e temos nossa responsabilidade quanto ao todo.
Sermos mornos é péssimo.
Mas, isso não significa que devamos nos deixar contaminar pelo pessimismo, pelo medo, pela raiva dos erros reiterados.
Por sabedoria, devemos agir e reagir às trevas com ações pró-Luz.
Se podemos?
Devemos.
Somos criadores do infinito pessoal, cuja amplitude é tão maior quanto crermos ser.
Precisamos olhar o entorno dos demais habitantes planetários.
Os animais, domesticados e selvagens, têm nos dado exemplos que a evolução está vindo à galope.
Muitas pessoas sérias e responsáveis começam a relatar ouvir plantas.
Amo muito às árvores.
Há uma Ipê Rosa em meu caminho para a clínica que me encantou ano passado com a festa colorida que fez e, depois, com a volta das folhas, a sombra que dá aos pássaros que acolhe no horror daquela avenida poluída e barulhenta.
Sinto profunda gratidão por ela e essa energia é tão intensa que ela me responde.
Loucura?
Ouvidos de ouvir.
Quero lhe propor observar com os sentidos à natureza que os cerca.
A Nova Terra já chegou.
Jesus no leme!
A Nova Terra já chegou