Aqueceram ,de novo , a discussão sobre ufologia “científica” e “espiritualista”e alguns amigos estão me pedindo uma posição.
Há muito o que se questionar quanto ao que se tornou a ufologia,hoje,como um todo.
Aos mais afeitos ao tema, não escapa a guerra de egos entre ALGUNS ufólogos do seguimento “científico”, com acusações de fraudes recíprocas. Esses “alguns” querem ser os donos da ufologia.Só que uns destes têm trabalho real para mostrar e outros nem tanto. Mas as feias batalhas fazem imenso dano à ufologia que todos eles defendem. Tema que não tem a credibilidade que merece, junto ao público feito pela mídia que despreza a vida extraterrestre.
Em contrapartida, cresce , assustadoramente, o seguimento “espiritualista” do fenômeno com pessoas sérias e pessoas pilantras. Aliás, o que mais se vê,na internet, hoje, são os pilantras posando de mestres de tolos. É de dar vergonha o uso comercial que fazem de pretensos contatos que alegam ter.
Então , ao lado de ufólogos científicos descarados e conhecidos internacionalmente que largam centenas de balões brancos no céu, filmam e chamam isso de “flotillas” de naves,temos sem-vergonhas que usam o manto santificador da espiritualidade para serem sustentados por seus seguidores,falando inverdades e se dizendo tradutores dos ets.
Mas esse crescimento tem uma clara explicação: estamos cansados do materialismo que está consumindo toda a vida do planeta e tornando nossas vidas um caos.
As pessoas querem ouvir mensagens de esperança, querem ser ajudadas a sair deste emaranhado de loucura. Querem ser salvas. Querem algo a mais, querem ver além dos véus.
Como diz a Shellyana, basta uma colher de verdade em litro e meio de mentira para nos atrair.
Mas em relatos de abduzidos e contatados em todo o mundo , como bem pontou meu irmão Marco Petit, os extraterrestres falam, de maneira clara e inequívoca, sobre a necessidade de expandirmos nossas consciências, de mudarmos nossa forma de ser, de nos espiritualizarmos. Não discutem propulsão de naves, não dão desenhos de máquinas fantásticas, não trazem a cura do câncer. Nosso progresso científico depende apenas de nós. Mas,nosso atraso espiritual pode complicar a vida deles com a tecnologia que já temos. Imaginem o estrago cósmico que faríamos se destruíssemos o planeta,numa guerra mundial? ou o que provocariam as múltiplas explosões nucleares (ponham um bombinha dentro de uma lata presa por um fio e vejam que bagunça), na órbita planetária e as consequências disso.
Ora, de que serve o relato de abduzidos e contatados,não é mesmo? São jocosamente tratados pela maioria dos ufólogos “científicos”.
Percebam que não generalizei nenhuma das duas vertentes.
Existem ótimos pesquisadores em ambos os lados da ufologia.
O conflito é alimentado pelos invejosos e alimentado pelos trevosos que temem perder o controle da humanidade.
A verdade liberta.
Nada mais desnecessário do que esse estúpido conflito que generaliza e coloca os honestos e os desonestos no mesmo saco
De minha parte, creio que passou da hora de ser feita uma codificação de termos da ufologia espiritualista. Um termo comum de pesquisa e apresentação dos temas para reduzir a mistificação que reina.
Mas, ainda que cheguemos a isso, e , em grupo de muito bons ufólogos científico-espiritualistas e espiritualistas, estamos trabalhando para tal, a estéril guerra vai continuar.
E, notem, em momento algum falei de religião. Ets não têm religião. Eles têm compreensão maior do Todo.
Jesus no leme!
Ufologia Científica x Ufologia Espiritualista